quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Quem sou eu?

Quem, quem sou eu para entristecer?

Diante de minha família e sorte.
Diante de meus amigos e
minha casa.

Quem, quem sou eu para me
sentir sem vida?

Quem sou eu para me sentir
esgotada?

Diante de minha saúde e meu
dinheiro, e onde, onde eu vou
para me sentir bem?

Por que eu ainda procuro
externamente quando está
claro que isso não
funcionará?

É minha virtude continuar
quando não sou capaz?

E é meu trabalho ser extraordinariamente
preocupada com os outros?

Minha generosidade me desabilitou por
esse meu senso de tarefa a oferecer,
e por que, por que eu me sinto
tão ingrata?

Eu que estou muito além de apenas
sobreviver eu que vejo a vida
como uma ostra!

É minha virtude continuar
quando não sou capaz?

E é meu trabalho ser extraordinariamente
preocupada com os outros?

Minha generosidade me desabilitou
por esse meu senso de tarefa
a oferecer.

E como, como ouso descansar em minha
glória, como ouso ignorar uma mão
estendida?

Como ouso ignorar os países
de terceiro mundo?

É minha virtude continuar quando
não sou capaz?

E é meu trabalho ser extraordinariamente
preocupada com os outros?

Minha generosidade me desabilitou
por esse meu senso de tarefa
a oferecer!

Quem, quem sou eu para entristecer?

Alanis Morissete

17 comentários:

MEUS PENSAMENTOS disse...

quem sou eu???? bjs vivi

Vivian disse...

...às vezes somos tão pequenos,
tão egoístas diante do mundo
que nos rodeia, olhamos somente
para o nosso umbigo, esquecendo
todas as bençãos com que somos
agraciados em cada amanhecer.

ouvidos perfeitos,
olhar apurado, e sentidos
aguçados para perceber que
Deus nos cuida sem que acreditemos
ou não em sua doce presença,
são sim os melhores presentes
que a vida nos dá de graça.

é claro que a fraqueza da
alma às vezes nos pega
desprevinidos e vamos nós
então no vale das lamúrias
sem causa.

pobre de nós...

quanto ainda há para aprendermos?

Andradarte disse...

Post inquietante......Falta uma
palavra.....
Pense......

Beijo

Angela Reis (Luna Luz) disse...

Vivian,

Obrigada por sua presença no meu espaço. Bem vinda sempre =*

Desejo-lhe um Feliz Natal e um Ano Novo de Paz e Amor! Felicidades mil!

Deus te abençoe!

bjo

Angela

Chica disse...

Perguntas inquietantes... Quem somos nós? Aprendizes e caminhantes na vida... beijos,tudo de bom,chica

orvalho do ceu disse...

Olá, Vivian querida
O auto conhecimento nos permite viver com mais dignidade...
Abraços fraternos

sandrinha disse...

Psiuuuu!viviam!fico vózinha de vez daqui a 2 dias!uauuuuu!!!!!eheh!vim te deixar um beijinho...depois que a Maria Fernanda nascer veio aqui tricotar com vc tá?Fica com Deus!

HSLO disse...

As vezes me questiono dessa forma.


abraços
de luz e paz

Nanda Assis disse...

amooo!!!! sabedoria pura!!!

bjosss...

Franck disse...

Adoro a voz da Alanis, é uma música dela ou um poema? Bem questionador... Mas, de repente bateu um desãnimo!
Bjs*

BRANCAMAR disse...

Poema muito inquietante este de Alanis, mesmo quando te queres dar ao mundo e sabes que nada que te preocupa é suficientemente importante perante tanta desgraça alheia é muito difícil encontrar o equilibrio para dar com alegria, com realismo, numa entrga de serviço e animadora que alhguns tão bem sabem fazer.

Este texto é uma chamada de atenção importantíssima para o nosso papel no mundo.

Beijos para ti, querida Vivian.
Branca

SolBarreto disse...

Lindo post Vivian...
ainda temos muito a percorrer...ainda somos egoistas demais...mas a gente chega la com fé e perseverança!

www.cha-com-biscuit.blogspot.com disse...

Acho que a luta tem que ser árdua com nós mesmos, mas não precisamos nos afligir com isso, somos humanos sujeitos a erros , estamos aprendendo, não nos massacremos com super poderes que ainda não possuímos, deixemos o tempo cuidar disso, vamos apenas ficar atentos para não cairmos na ociosidade ou apenas usufruirmos os prazeres, cuidemos também do próximo, mas sem ultrapassarmos nossos limites.
abraços.

José Gonçalves disse...

Olá Vivian,

Que saudade de vir aqui pensar um pouco em voz alta!

Que tema mais actual nesta época que deveria ser de Fraternidade.

Passei apenas para matar saudade.

O tempo me foge demasiado rápido e não posso deixá-lo ir sem cumprir obrigações.

Ainda há tempo para rectificarmos pormenores da Viagem.

Um abraço e até sempre, com votos de Feliz Natal.

José Gonçalves

Paula Barros disse...

O ser humano é tão complexo, que muitas vezes está triste, quando deveria estar alegre, ou o contrário.

Cada um com sua história de vida, e só o autoconhecimento, sem se exigir de mais da conta, para refletir e mudar, quando possível.

beijo

Paula Barros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Daniel Savio disse...

Alana Morissete tem umas músicas boas, mas neste caso, cada um pode ser o que quiser, basta lutar para ser-lo...

Fique com Deus, menina Vivian.
Um abraço.