sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

O Casaco de Clara


Quando nasceu, já ao perceber os primeiros
raios de luz, Clara foi agasalhada com um
pequeno casaco de Inverno.

Um lindo casaquinho em tom vibrante, mas
um pouco grande para a
pequerrucha menina.

Com o passar dos dias, a pequenina Clara
ganhou peso, e aí sim seu corpinho
ajustava-se dentro do casaco.

À medida que foi crescendo, também o casaco ia
ficando maior, agora com mais cores, mais
bordados em detalhes, mais botões.

O número de bolsos ía aumentando, bem como
o seu conteúdo ia ficando mais pesado.

Clara tinha um corpo aparentemente frágil,
mas forte como nunca suspeitara.

A certa altura, este casaco, cada vez mais cheio de
pormenor, ao invés de aquecer ou proteger
o seu corpo, fazia-o suar em bicas.

Tornara-se um fardo que Clara
tinha de carregar.

As próprias cores, já desbotada, conferiam-lhe
um aspecto pouco atraente e cansado.

Os bolsos cada dia mais cheios, tinham pedras
dentro deles, e todos os dias, mais
alguém lhe pedia que carregasse
mais uma pedra.

Apenas mais uma entre tantas,
não faria diferença.

Clara, sempre solícita, arrastava-se com
o peso do casaco cada vez mais pesado,
cada vez mais monstruoso, quase
impedindo a pobre moça,
de andar.

Ela vestia-se com um casaco cheio de nada que lhe
toldava os movimentos e lhe encharcava
os olhos inundados das abundantes
lágrimas a lhe ocultar o
rosto por completo.

Clara rastejava escondendo sua tristeza sem saber o que
fazer para impedir o seu próprio soterramento pelo
peso que colocava em si mesma e que se deixava
colocar pelos outros que, habituados a verem-na
rastejar achando tal comportamento natural,
continuavam a sobrecarregar
os seus bolsos.

O casaco pesava tanto que até ameaçava rasgar-se,
e seu corpo ameaçava sucumbir.

Uma noite, enquanto banhava-se nas próprias lágrimas,
Clara pensou seriamente em despir o casaco.

Então, num ímpeto de coragem e lucidez, assim o fez,
desfazendo-se de todos os pesos que a
acorrentaram por toda uma vida.


...quantas 'pedras' você carrega em seus bolsos?

pense...






35 comentários:

Nanda Assis disse...

é... olha seu blog tem sido um grande aprendizado pra mim viu, obrigada por isso.

bjosss...

Dona Sra. Urtigão disse...

Adorei ler isso hoje, quando acabo de tirar pedras de meus bolsos. para tirar o casaco, ainda preciso tempo, reflexão, certezas.
Abraço.

Esterança disse...

Querida Vivi,

nessa fria madrugada,
eis que encontro palavras
acolhedoras, que aquecem o
espírito, fazendo-me pensar!

é preciso dar nome as pedras,
e são tantas,
desejo encontrar dentro de mim
mesma a força necessária para atirar longe tudo o que me pesa!

reconhecer que as pedras pesam já é um grande passo, suponho,



beijos de luz!

Isa disse...

Vivi,lindo,airoso e fresco o seu blog...
Texto de metáforas curiosas!
Gostei.Quantas pedras ñ precisamos de tirar de "nossos casacos?!
Beijoo.
isa.

paula barros disse...

Vamos filosofar? Vou descontar rsrsr

Penso que ao longo da vida vamos assimilando pedras, engolindo, e sendo sufocada por algumas. Algumas pessoas como Clara percebem em tempo as muitas pedras que as compoe, pedras desnecessárias para a caminhada e consegue desvencilhar das mesmas. Algumas pedras são tão antigas que formaram o alicerce e se tirar pode fazer tudo desmoronar, sendo preciso aprender a polir a pedra e dá umas pintadinhas para ficar com um melhor aspectos e caminhar mais leve.

Já tem outras pessoas que foram formadas de pedras preciosas mas não percebem. Não dam valor as pedras o suficente para caminharem brilhando.

E assim como os botões, é preciso reconhecer as pedras, e tentar caminhar com e em equilibrio.

---------------------------

Pensei que tinha entrado no blog errado, com mudanças assim.

Combinou com o texto de Clara.

abraços minha linda.

Gleidston dias disse...

Muito bom ter a oportunidade de ler um texto que nos convida a refletir sobre, nossas vivencias, algumas pedras ja lá foram, para o casaco bem acredito que falta qqr coisa ainda para tirar,Vivi,parabens belissimo texto!

Um dia de paz pra voce.

bjssss

Renata Maria Parreira Cordeiro disse...

Vivi:
Posso dizer-lhe que há muito, tirei as pedras e não as deixei no caminho de ninguém, lancei-as ao rio. Isso porque cresci. Quando mais nova, carregava todas as pedras, mas sob os ombros. Um dia, me de um estalão e falei: não! Não tenho culpa! Aliás, culpa não existe para quem vive consciente dos seus atos.
Beijos, Vivi
Renata

Lu Cavichioli disse...

Oi Vivian td bem? Achei teu blog no bloguinho da Joice, e olhair, acertei em cheio em vi vir aqui.
Esse poema é uma lição de vida e logo mais volto pra ler o restante.

Lindo blog, parabéns!
Me visite quando puder.
Abraços

LOURO disse...

Querida amiga Vivian,lindo texto,
que nos faz pensar nas (pedras), que carregamos pela vida fora!!!

Bom fim de semana,

Beijinhos de carinho e amizade

Lourenço

Tatiana disse...

Emocionei lendo as suas palavras...

A muito tempo venho sentindo a necessidade de ter coragem de tirar as pedras do bolso.

Um beijo carinhoso para você Vivian!

•.¸¸.ஐBruneLLa Tigress disse...

Obrigada por este post, Vivi. Eu bem sei quanto da Clara eu tenho!

beijos e borboleteios

FERNANDA & POEMAS disse...

QUERIDA VIVI, QUANTAS PEDRAS CARREGAMOS ÁS VEZES SEM NECESSIDADE NENHUMA... MARAVILHOSO... UM ABRAÇO DE CARINHO,
FERNANDINHA

manzas disse...

Obrigado pelo comentário, fico grato...

Perfeito…

Passei para desejar um óptimo fim-de-semana…

O eterno abraço…

Daniel Savio disse...

E assim pensamos que vivemos mais ao carregar peso demais, mas não é assim, só vivemos se nos livrarmos deste peso.

Fique com Deus, menina Vivian.
Um abraço.

Dona Sra. Urtigão disse...

Voltei, refletir sobre as pedras me fez recordar o mito de Sísifo. O quanto de prazer ele sentia em carregar infinitamente e aparentemente inutilmente ao alto da montanha sua pedra, só pela condição de estar vivo.
Beijo!

Quase Trinta disse...

Por isso que escrevi hoje: estou aprendendo a praticar o desapego.
Chega de carregar tantas pedras..

bjs linda

Lucí disse...

Ola amadinha...

Que texto tão simples e lindo!.
As vezes carregamos pedras e fardos desnecessarios e que acreditamos precisar passar por tais situações, mas um dia da esse clique e percebemos que somente a gente pode "tirar o casaco", mudar!..E nao permitir que as pessoas abusem da gente.. se as pessoas nao se tocam, a gente que precisa ter uma atitude!

Bjinhooossss, e um ótimo final de semana!

Mimirabolante disse...

....e qd vc carrega o casaco alheio ?....pedras que não te pertencem ????

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Temos que nos ir aliviando das pedras, para evitar sucumbir...
Gosto muito do novo visual do seu blog!
Beijossss

Déia Arakaki disse...

Oi Lindeza!! Saudades suas la no meu blog!!
Quanta ao Post da carta da mae portuguesa foi so para descontrair um pouco , nao quero arrumar inimigos alem mar não.. rs.
Pelo contrario , inclusive adoro o povo de Portugal !!
Quanto ao seu post..
Puxa é algo extremamete reflexivo.
Eu ja carreguei muitas pedras em meu caminho , e puxa vida como elas pesavam.
lendo o texto sobre o casaco de Clara me identifiquei muito, com o decorrer do tempo a gente vai se cansando mesmo de carregar "Tantas Pedras" e num ato de coragem arranca o casaco e nos desfazemos da maioria delas.
Mais ressalto que no meu caso por exemplo, algumas dessas pedras me serviram de grande lição, tanto para me ensinar a lidar com pessoas como com situações tambem.
Mais há "Pedras" que se fazem necessarias mesmo retirar do bolso e jogar bem longe !!!

suave e lindo Final de Semana pra tí Vivi..

Beijos

Maria Dias disse...

Oi Vivi...

Este ano resolvi fazer uma faxina.Mas a principal faxina foi em mim mesma,retirei as pedras q eu usava no casaco sem nem me dar conta.Te digo q já estou sentindo a leveza no meu corpo e na alma.Valeu a pena!

Beijinhos

Tiê Porã disse...

Oi, viv!!
quero dizer que é um imenso prazer ter uma leitora como você.
essa parte de que ecrevo é antiga já se passou algum tempo.
mas escrevo por que estava há muito tempo guardado.

são coisas pelas quais passei que não esqueci.
mas que não me afetem como antes afetava.são só lembranças do passado.
quanto ao casaco não tenho tantas pedras como a clara.
já tive mais
ainda tenho algumas inevitáveis.

mas é agradavél.Se não fosse assim meu cotidiano não teria graça.
rsrs

- > obrigada pelo carinho!

Elcio disse...

Bela metáfora.
E pensar q nunca parei p refletir sobre.
Abissal. Gostei.

É isso aí.
Bjs e otimo fds

http://www.instantes.blogger.com.br/

...EU VOU GRITAR PRA TODO MUNDO OUVIR... disse...

Vivian!Seu blog está muito bonito com a nova apresentação!

Quanto ao seu post...eu sempre digo que pensamentos se cruzam nestes espaços.Hoje amanheci zangada por motivos parecidos aos de Clara.Zanguei-me e gritei que estava cansada de carregar pesos alheios sem que ninguém se importe em colaborar para que eu carregue os meus.Aí venho aqui e encontro o seu post repleto de sabedoria.

Bom quando pecebemos que nossos problemas são comuns a inúmeras pessoas.

Desculpe o desabafo,mas me comovi pois suas palavras acertaram o centro do alvo.

Neste blog aprende-se muito...

Beijos leves,Sonia Regina.

Iana disse...

Linda

Sempre delicioso ler-te,
no caminho da vida
encontramos pedras
mas encontramos desvios

Os melhores momentos da vida
é quando entregamos o nosso caminho para Deus ele ajuda a gente vencer tudo e todos...

Beijos com carinho da rosa amiga
Iana!!!

Cleo disse...

vivian, é mesmo, temos de cuidar destas pedras e não deixar que elas façam muito peso, o desnecessário pode ser descartado.
adorei o visual do blog.
beijos carinhosos e maravilhoso fim de semana.
cleo

MEUS PENSAMENTOS disse...

vivi tem um só pra vc vai lá

Sílvio Moura disse...

No momento estou carregando uma que nem consi caminhar.



www.pulchro.blogspot.com

Vanessa Labrea disse...

É especial quem faz os outros verem o que não costumam ver. Tu me parece ser assim Vivi, adorei teu blog! E acho que tu vai gostar do meu também... Passa lá, me diz o que acha! Voltarei aqui outras vezes, com certeza.
Beijinho, Vanessa

Gilbamar disse...

Uma singela maneira de mostrar-nos o quanto carregamos entulhos em nossos corações ao longo do tempo. Precisamos aprender com essa metáfora.

Fraternal abraço do amigo Gilbamar.

Giane disse...

Vivi...

Vou trocar as pedras supérfluas do meu casaco por pedacinhos de papel e neles anotados cada palavra de incentivo que Você escreve para todos nós!

Agradeço sempre Amiga de Boas Palavras e Agradeço por demais sua Amizade.

Beijos mil e bom fim-de-semana!!!

Carla P.S. disse...

Muitas, te garanto..
Farei até um café, nessa madrugada.
Beijos. E um pra ti, tb.

tossan disse...

Maravilha de postagem, gostei muito da cor do teu blog combina mais com o teu coração. Beijo

Pedro disse...

Hum...

Eu diria, contudo, que carrego muitas pedras... =/ Mas felizmente isso nunca me impediu de continuar a sorrir, sou um pouco mais forte que isso. Porque por muitas pedras que transportemos devemos pensar sempre positivo, e as pedras tornam-se um orgulho quando as vencemos!

freefun0616 disse...

酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店經紀,
酒店打工經紀,
制服酒店工作,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
專業酒店經紀,
合法酒店經紀,
酒店暑假打工,
酒店寒假打工,
酒店經紀人,
菲梵酒店經紀,
酒店經紀,
禮服酒店上班,
酒店小姐兼職,
便服酒店工作,
酒店打工經紀,
制服酒店經紀,
酒店經紀,

,